top of page

CPT Regional Maranhão divulga relatório de Conflitos no Campo 2023


A Comissão Pastoral da Terra do Maranhão divulgou nesta segunda-feira (22/04) o lançamento do relatório Conflitos no Campo Brasil 2023, no auditório do prédio do curso de história da UEMA, localizado na praia grande, centro histórico de São Luís. O lançamento contou com a participação virtual de dom Francisco Soares, bispo de Carolina (MA) e referencial para a CPT Maranhão; e da presença de Martha Bispo, secretária executiva do Regional Nordeste 5.


O relatório aponta um recorde lamentável para o país com um número crescente de 2.203 casos de conflitos no campo. A CPT divulga esses dados desde 1985.


Nos anos de 2014 a 2023, o estado com maior registro de conflitos na região Nordeste foi o Maranhão, com 1.926 ocorrências. Já na região Norte, o Pará é o estado mais conflituoso, com 1.999 ocorrências.


Matopiba

Um outro fator apontado no relatório é que a região do Matopiba estão dois dos estados com os maiores números de conflitos por terra. Do total de 172 registros na Bahia, 36 ocorreram nesta zona de desenvolvimento e 118 dos 170 registros do Maranhão também estão nesta localidade. As ditas regiões de desenvolvimento, estimuladas pelo Estado para a expansão das fronteiras agrícolas, continuam a ser as áreas de maior concentração de violência contra as comunidades do campo.


Conflitos por Terra


O caderno apresenta dados sobre as ações de violência contra os povos dos campos, da água e das florestas, trabalho escravo rural além das ações de resistência dos camponeses e povos e comunidades tradicionais que resistem ao avanço do Capital e ao agronegócio ao longo do ano de 2023 no Maranhão.



No Maranhão, os principais conflitos são por terra (71,80%), seguido por conflitos de água (11,40%). Em relação aos assassinatos, os números apontam o valor de 31, mortes em 2023, sendo os indígenas, a categoria que sofre mais assassinatos (14 vítimas).

39 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page