• Secom

"Ser catequista, esta é a vocação, este é um ministério"

Atualizado: Mai 12

“Sentir-se chamado a ser catequista e receber da Igreja a missão, adquire diversos graus de dedicação, segundo a característica de cada um”. (DGC 231)

Cleiane Almeida e Dom Rubival, coordenação da Comissão de Animação Bíblico-Catequética do Regional Nordeste 5

“Como catequista, servir em nome da Igreja é um privilégio. Educar na fé é uma missão. Somos batizados e assumimos nossa vocação, o Motu proprio nos dará ministerialidade, nos valorizando como catequistas, nos responsabilizando como ministros e ministras da ação missionária e evangelizadora do povo, com o povo, e para o povo”, afirma Cleiane Almeida, coordenadora regional da Comissão para Animação Bíblico- Catequética.


Nesta terça-feira (11/05), foi publicado o Motu proprio Antiquum, assinado pelo Papa Francisco na última segunda (10), que institui formalmente o ministério laical de catequista.


“O Motu proprio irá consolidar milhares de mulheres e homens, que na experiência da fé vivem a paixão de experienciar a vocação de catequista, como aquele que faz o verdadeiro amor, ser amado e anunciado, o próprio Jesus”, ressalta Cleiane.


Papa Francisco afirma que o catequista é chamado a exprimir a sua competência no serviço pastoral da transmissão da fé, desde o primeiro anúncio até a preparação para os sacramentos da iniciação cristã, incluindo a formação permanente. “Receber o ministério laical de catequista, de fato, ‘imprime uma acentuação maior ao empenho missionário típico de cada batizado’", pondera o pontífice.


Para dom Rubival Britto, bispo referencial do Regional Nordeste 5 para a Comissão para a Animação Bíblico-Catequética, a comunicação da instituição do ministério foi recebida com muita alegria, pois é um ministério antigo e de suma importância na transmissão da fé, na transmissão dos valores essenciais para formar o discípulo missionário do Senhor.

"Servir em nome da Igreja é um privilégio. Educar na fé é uma missão", Cleiane Almeida

“Nos alegramos imensamente com essa decisão do Papa Francisco em reconhecer o ministério do catequista. Enriquece e enobrece os ministérios que por excelência devem ser catequético: o múnus episcopal e o múnus sacerdotal. Vamos caminhando, e juntos contribuir de forma mais plena e eficaz para a evangelização e a missão de nossa Igreja”, comenta dom Rubival.


Segundo Cleiane esta atitude de Papa Francisco já era esperada pelos catequistas. “Para nós catequistas, é uma realização essa atitude do nosso Papa Francisco, em tornar oficial o ministério de catequese e será celebrado com maestria por todos nós. Muitos, já alimentam esse desejo desde o vaticano II”, lembra.


Com entusiasmo, dom Rubival motiva e parabeniza os catequistas: “Parabéns a todos os catequistas! É hora de recomeçar. Em meio aos grandes desafios do tempo e da história, torna-se ainda mais necessário que a nossa missão aconteça. Parabéns catequista, caminhemos, avancemos. Temos uma linda história para continuar construindo, edificando a Igreja do Senhor. Parabéns, boa missão!”, deseja.


Em nível nacional, a Comissão de Animação Bíblico Catequética da CNBB realiza uma live para apresentar este importante documento, hoje (11), com transmissão pelas redes sociais da CNBB, da Catequese do Brasil e da Canção Nova. A live contará com a participação de Dom Joel Portella Amado – Secretário-Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB); Dom José Antônio Peruzzo – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética; Pe. Jânison de Sá Santos – Assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da CNBB; e Vera Lucy – Coordenadora de Catequese do Regional Leste 1 da CNBB (Rio de Janeiro).


266 visualizações1 comentário