• Secom

Maria, discípula e mensageira de Jesus


Maria é “obra-prima do Pai, a cheia de graça”. Foto: Ewa Klejnot por Pixabay

Já está profundamente sacramentado na vivência espiritual do povo católico, particularmente no mês de maio, o mês de Maria, o mês dedicado as mães. São tantas as novenas, terços, religiosidade popular, festas, sempre com o intuito de manter viva na memória, no coração e na mente do exemplo e o testemunho de Nossa Senhora a mãe de Jesus e nossa. Maria é “obra-prima do Pai, a cheia de graça”. Nela encontramos o resultado da ação de Deus, isto é, o que acontece com um ser humano quando acolhe completamente o Espírito de Deus em sua vida.


Dentre a grandeza da riqueza espiritual de sua vida como discípula missionária de Jesus, oferecemos aos nossos leitores, pequenos, mas significativos traços de Maria, como discípula e mensageira de Jesus.


Verdadeiramente Maria se torna discípula e mensageira do Senhor, desde o momento em que acolhe, através de um profundo diálogo, a mensagem do Anjo do Senhor comunicando-lhe a sua missão de ser morada de Deus. A expressão “conceberás em teu seio e darás à luz um filho” sublinha a presença de Deus no meio de seu povo. Em Maria, nova morada de Deus, realiza-se a promessa, e em seu seio vem morar o Salvador. O Concílio Vaticano II, na Constituição Dogmática Lumen Gentium, no. 53, precisa dizendo que “foi enriquecida com a excelsa missão e dignidade de Mãe de Deus Filho; é, por isso, filha predileta do Pai e templo do Espírito Santo, e, por este insigne dom da graça, leva vantagem à todas as demais criaturas do céu e da terra”. Portanto, a missão de Maria somente pode ser entendida e vivida no Espírito de Deus. Maria necessita acolher, deixar-se encher do Espírito para gerar, encarnar e viver Jesus dentro de si para oferecê-lo ao mundo como salvação e vida.


Em Maria, nova morada de Deus, realiza-se a promessa, e em seu seio vem morar o Salvador

Como portadora do Salvador, Maria tem pressa em comunicar esta boa notícia. Mensageira do Evangelho de Deus, leva a notícia da paz, da felicidade e da salvação, desde a Galileia até à região da Judeia. Transbordando de graça de Deus, não quer retê-la para si. Vai partilhar com sua prima, de idade avançada, Isabel, que está grávida e necessita de cuidados. Como mensageira, leva discretamente Jesus para outros. Evangeliza com sua simples e alegre presença, com sua cordial e profunda saudação. Saudação que sempre se converte em uma vida nova. Discípula, mensageira do Ressuscitado, evangeliza com o poder do Espírito, na singeleza de uma vida conforme os valores do Reino.


Esses traços de Maria, são motivações para todos nós e nos inspiram, não somente neste mês, mas durante o tempo que o Senhor nos permitir viver a tomarmos as mesmas atitudes nos inspirando em seu exemplo. Sejamos discípulos fiéis de Jesus, ouvindo, acolhendo, guardando no coração e praticando sua Palavra. Como Maria, alimentemos um coração agradecido a Deus. Louvemos pelo bem que ela, por meio d'Ele, realiza em nosso meio. Celebremos com alegria e comprometimento sua vida e sua missão.


Dom Gilberto Pastana de Oliveira


Arcebispo da arquidiocese de São Luís

144 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo