• Secom

Jornada de Oração e Missão pela Paz, dia 1º de fevereiro, será dedicada ao Cazaquistão



A segunda edição da Jornada de Oração e Missão pela Paz de 2022, é realizada hoje, dia 1º de fevereiro, e será dedicada ao Cazaquistão – país da Ásia Central e antiga república soviética. O país ganhou os noticiários recentemente com as manifestações populares repreendidas com violência pelo governo nacional.


A principal cidade do país, Almaty – no sul do país, foi tomada por manifestações contra o aumento dos preços da energia e do combustível que geraram graves tumultos e forte repressão armada. De acordo com o portal da BBC, pelo menos 18 membros das forças de segurança morreram em confrontos na cidade. Segundo o governo cazaque, 2.298 manifestantes foram detidos no país.


Em mensagem enviada à ACN, no último dia 17 de janeiro, o arcebispo da Arquidiocese de Maria Santíssima em Astana, a sede episcopal da Igreja Católica que cobre o norte do Cazaquistão, lamentou os trágicos incidentes do nas últimas semanas. Segundo o arcebispo, cerca de 200 pessoas perderam a vida em conflitos aparentemente provocados por protestos contra o aumento dos preços dos combustíveis.


Diante dessa realidade a Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que sofre (ACN) pedem a sua oração em solidariedade ao Cazaquistão, na próxima terça-feira, 1º de fevereiro, pelo fim dos protestos e dos conflitos sociais através do sincero diálogo entre as partes.


Segundo a comissão, recentemente o Papa Francisco lamentou as vítimas e apelou ao diálogo, para o restabelecimento da justiça, da harmonia social e da paz.


A Jornada de Oração e Missão faz parte de uma série que coloca o valor da oração como “agir missionário” e propõe que cada cristão católico dedique um tempo do dia para rezar por determinado país. De acordo com a Comissão para Ação Missionária da CNBB as jornadas são um convite para contribuir, especialmente, com a oração que é uma das formas mais significativas de colaborar com o trabalho missionário.


Sobre o país

Distante geográfica e culturalmente, o Cazaquistão é composto por uma população de vinte milhões de habitantes e de diferentes etnias e religiões, segundo a comissão.


“A maioria é formada por cazaques, uzbeques, tártaros e uigures, de origem mongol e que professam a religião muçulmana sunita; há também uma porcentagem predominante de russos, ucranianos, bálticos e germano-russos, principalmente cristãos ortodoxos ou cristãos protestantes, e uma pequena presença católica, de cerca de 150.000 fiéis, quase todos pertencentes a famílias de origem europeia”.

3 visualizações0 comentário