• Secom

Solidariedade de Deus com seu povo



Novena é um passo a passo na aproximação com o mistério de um Deus que nasce menino na casa-do-pão-Belém.


Re-cordar, memória do coração, atualizar o mistério da nossa fé, verbo que se fez carne, é assim, ressignificando a história humana a partir do Amor-Ágape.


1º Passo: (Novena do Nosso Regional NE5) – Natal, solidariedade de Deus com seu povo: uma luz brilha nas trevas.


Neste ano de 2021, as trevas foram fortes, pandemia desvelando a realidade. Trouxe à tona a grande pandemia da miséria na qual vive o nosso povo. Desmascarou os Herodes do nosso tempo e, assim, como a luz se manifesta na solidariedade, transformou a dor em resistência. Os pobres, através da agricultura familiar, colocaram comida na mesa do povo.


2º Passo: Solidariedade de Deus com seu povo: A Virgem conceberá


Emanuel, pela promessa feita aos nossos pais, Deus está conosco. Maria faz possível a encarnação do Verbo. A solidariedade de Deus chega ao mundo pelo sim de uma mulher.


A sabedoria dos povos ancestrais afirma que a mãe terra tem rosto feminino. No mundo indígena e ocidental, as mulheres são aquelas que trabalham em múltiplas facetas, na instrução dos filhos, na transmissão da fé e do Evangelho, são testemunhas e presença responsável na promoção humana, por isso se pede que a voz das mulheres seja ouvida, que elas sejam consultadas e participem das decisões e, assim, possam contribuir com sua sensibilidade à sinodalidade eclesial. Valorizamos ‘a função da mulher, reconhecendo seu papel fundamental na formação e continuidade das culturas, na espiritualidade, nas comunidades e nas famílias’. É necessário que a Igreja assuma em seu seio com maior força a liderança das mulheres, e que as reconheça e promova, fortalecendo sua participação nos conselhos pastorais das paróquias e dioceses, inclusive nas instâncias de governo”. (Documento Final do Sínodo da Amazônia, nº 101.)


3º Passo: Natal, solidariedade de Deus com seu povo: o Profeta anuncia o Messias.

Desde aqui, nesse chão da Amazônia, quantos profetas, que anunciando a vida desse menino, seu caminho, morte e ressurreição, desmascaram o projeto da morte, arquitetado por um sistema econômico, político e religioso perverso. Na resistência, muitas vidas estão sendo doadas. Mártires anônimos, invisíveis, fazendo o Reino acontecer.


4º Passo: Natal, solidariedade de Deus com seu povo: consolar com compaixão e compromisso.


Não é fácil consolar o povo, com tantas dores no extremo do sofrimento. A covid- 19, junto com os projetos de morte, empreendidos pelo Governo da nação, levanta a pergunta: como consolar esse povo?


Só a chegada do Messias e sua missão pode trazer a consolação, na medida em que esse menino se compadeceu, dando vista aos cegos, aos surdos fez ouvir, libertou a língua dos mudos e se fez boa nova para todos, à partir dos pobres.


5º passo: Natal, solidariedade de Deus com o seu povo: Novo céu e uma nova terra.


Quando visitamos um assentamento, produzindo alimentos saudáveis, povo organizando no projeto de vida, com sustentabilidade, temos uma visão do céu e da nova terra. Ao verificarmos, na realidade, comunidades do “Bem-viver”, apesar dos limites e dificuldades, experimentamos que um novo mundo é possível. E podemos dizer como o Profeta Isaías: “Alegrai-vos, pois, e regozijai-vos para sempre com aquilo que estou para criar: eis que farei de Jerusalém um júbilo e do meu povo uma alegria”. (Is 65,18).


6º passo: Natal, solidariedade de Deus com o seu povo: preparai os caminhos do Senhor.


João Batista apresenta o caminho da conversão. A pergunta: “Que devemos fazer?” (Lc 3,10), tem uma resposta clara, no nascimento deste menino no meio de nós. Já na resposta de João, - a exigência da partilha do pão e do cuidado com a pessoa, o amor acima da lei e ética na vivência da verdade – tudo leva para o Caminho apontado e vivido, radicalmente, por esse menino.


Hoje, mais do que nunca, segue atual e necessário esse caminho apontado por João. Vem, Senhor Jesus, salvar o teu povo!


7º passo: Natal, solidariedade de Deus com o seu povo: Através do Sim de Maria.

Quando um sim é comprometido e transformador. Maria é escolhida por Deus para cooperar com o projeto de salvação. Hoje, somos provocados também, a tomar decisões, assumindo a construção do Reino de Deus. Com o sim de Maria, Deus se humanizou, com o meu sim e testemunho de fé, nas suas palavras e nas promessas, possibilitou o natal acontecer hoje, na história. Sentir-me escolhido/a, amado/a e enviado/a é fundamental para o natal ser todos os dias.


8º passo: Natal, solidariedade de Deus com o seu povo: Virá o dia em que todos...!


Estamos sedentos de encontro. A pandemia nos isolou, exigiu afastamento das pessoas, mas seguimos unidos na fé, nos encontrando nesse menino Salvador.


“O Cântico de Maria é oração do povo de Deus que reconhece sua fidelidade, sua presença salvadora e libertadora. Seu canto é a manifestação de um Deus presente na história e na vida dos pobres que tem fome e sede de justiça. É um pai bondoso que se lembra dos humildes, que esperam unicamente no seu Deus. É o anúncio que o mal mão vai reinar, que a justiça vai alcançar a todos que a buscam. Vai saciar de bens aos que, hoje, passam necessidades, sua misericórdia vai alcançar os puros e os justos.


MARIA ANUNCIA que os que sofrem e são maltratados pelos poderosos vão alcançar a liberdade e pôr fim em toda exploração, um mundo novo chegará...


MARIA, no seu canto, denuncia a ganância e o enriquecimento de muitos, o que leva a um EMPOBRECIMENTO da população.


MARIA ANUNCIA que Deus fez aliança com os antepassados, e, agora, vem, pessoalmente, renovar essa aliança, vai erguer sua tenda entre nós, passar o dia e a noite conosco, sentir as nossas dores, e se alegrar com nossa vitória, pois, ‘virá o dia em que todos ao levantar a vista veremos nesta terra reinar a liberdade”. (Novena de Natal, 2021 – Regional NE5).


9º passo: Natal, solidariedade de Deus com o seu povo: Nasce Emanuel.


Ele nasceu na dura realidade do seu tempo. É preciso contemplar o presépio com as lentes de hoje. Não perder a ternura diante de tantas dificuldades enfrentadas, assim como José e Maria. Tendo como certeza que a promessa de Deus, que se realizou lá em Belém, também se dará, aqui e agora, nesta dura realidade, quando encontra homens e mulheres que encarnam Jesus e seu projeto do Reino, nas estruturas do nosso tempo. E, se assim fizermos, poderemos dizer, então, apesar de tanta dor e sofrimento do nosso povo, Feliz Natal!


De Cor,

Dom Valentim Fagundes de Meneses, msc.

Bispo de Balsas e Referencial para a Ação Missionária e Pastoral do Menor

429 visualizações0 comentário