• Secom

Regional Nordeste 5 está presente no IV Encontro da Igreja Católica na Amazônia

Além de recordar as linhas pastorais traçadas para a missão da Igreja na Amazônia, também se debruça sobre a aplicação das indicações do Sínodo para a Amazônia, realizado em 2018



Teve início, na noite de segunda-feira, 6 de junho, e segue até esta quinta-feira, 8, o IV Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal. O evento celebra e faz memória do Documento de Santarém, fruto do primeiro encontro eclesial na região, que foi realizado há 50 anos, em Santarém, no Pará.


Nesta terça-feira, o Papa Francisco enviou uma carta aos participantes motivando-os a serem “corajosos e audaciosos, abrindo-se confiadamente à ação de Deus”. Confira a carta aqui.


O início do encontro foi marcado pela celebração eucarística, presidida pelo último bispo ordenado na Amazônia brasileira, dom Raimundo Possidônio Carrera da Mata, bispo coadjutor da diocese de Bragança (PA). Ele confiou a Maria “a intercessão materna por todos nós, por toda a Igreja desta Amazônia, onde residem tantas realidades que ainda precisam verdadeiramente de Ressurreição”.


O Regional Nordeste 5 enviou 14 pessoas, sendo 12 padres, representando suas respectivas dioceses, dom Sebastião Duarte, bispo de Caxias; e Martha Bispo, secretária executiva do Regional Nordeste 5. Os 12 padres são: padre Jose (diocese de Coroatá); padre Gildenor (diocese de Caxias); padre Chagas (diocese de Brejo); padre Jadson (Arquidiocese de São Luís); padre Eliezer (diocese de Imperatriz); padre João Filho (diocese de Balsas); padre Nildo (diocese de Carolina); padre Giuseppe Spiga (diocese de Viana); padre Marcio Helio (diocese de Pinheiro); padre José Geraldo (diocese de Bacabal).


O IV Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal é realizado no Seminário São Pio X, em Santarém, e reúne 100 pessoas, entre cardeais, bispos, presbíteros, membros da vida religiosa, cristãos leigos e leigas, dentre eles entre representantes dos povos indígenas e de comunidades tradicionais e ocorre agora, no mesmo local que recebeu representantes das Igrejas locais amazônicas, em 1972.



Da Redação com informações do Regional Norte 1.

118 visualizações0 comentário