top of page
  • Secom

Papa Francisco: o que os 10 anos de seu pontificado nos ensina?



No 13º dia do mês de março do ano de 2013, o mundo conhecia o novo sucessor de Pedro. O cardeal Bergoglio foi eleito Papa e a partir daquela tarde chuvosa todos conheciam Papa Francisco.


Passados 10 anos de seu pontificado, Papa Francisco tem movimentado a Igreja Católica e mostrado um novo olhar. E, em seu décimo aniversário de pontificado só tem um pedido: a paz como presente. Reunimos o olhar de quatro representantes da Igreja Católica no Maranhão para pensar sobre o papel do sucessor do Pedro, a evolução de seu pontificado e o que ele nos ensina.


Protagonismo de todo povo de Deus

Dom Evaldo durante a visita Ad Limina.

Seu jeito simples, mas de grande sabedoria tem realizado mudanças na Igreja, principalmente no que se refere aos leigos e leigas e mulheres. “A partir do próprio evangelho de Jesus Cristo, a partir do Concílio Vaticano II, uma Igreja que procura superar toda e qualquer forma de clericalismo, dando maior espaço aos leigos, reconhecendo e promovendo o protagonismo de todo povo de Deus, todos os batizados e batizadas”, comenta dom Evaldo Carvalho, bispo da diocese de Viana.


“O seu pontificado representa várias evoluções, primeiro permitindo a presença de leigos e de mulheres nos dicastérios da Igreja, o que é uma grande inovação. Além de tratar questões, como, por exemplo, as mães solteiras quando ele disse que não há mães solteiras, há mães. Então, eu acho que são felizes conquistas, felizes aberturas. Lógico, nós estamos falando de uma Igreja de dois mil anos. E qualquer mudança ela precisa ser construída. Então, eu considero o pontificado do Papa Francisco, depois do Concílio Vaticano II, como o novo Pentecostes para a Igreja”, completa Delso de Jesus, leigo que compõe a equipe de campanhas do Regional Nordeste 5 da CNBB.


“É um pontificado que realmente vivencia a acolhida. E, é isso que a gente está tentando colocar em prática na vivência de nossas práticas missionárias. E um diferencial muito maior ainda é quando ele fala para a realidade, para as paróquias. A paróquia tem que ser a casa mãe, ela tem que ser acolhedora”, pontua irmã Conceição, secretária regional da Serviço de Animação Vocacional/Pastoral Vocacional.


Com quatro meses de ordenado, padre Manoel Júnior, da diocese de Zé Doca, é fruto desta nova realidade da Igreja Católica. “O Papa Francisco, no seu pontificado, ele nos convida, convida toda a Igreja ao retorno às fontes do evangelho, o começo de tudo. Ele nos apresenta uma Igreja samaritana, uma Igreja sensível à dor do outro. Uma Igreja que está próxima das pessoas, encarnada na realidade humana”, disse.


Um olhar atento para a Ecologia

Papa Francisco se destaca por sua defesa pela Casa Comum. Segundo dom Evaldo, Francisco desperta o compromisso da Igreja para uma transformação social. “Valorizando e tomando consciência da nossa responsabilidade para com a casa comum, o meio ambiente, a natureza, a Amazônia, os povos originários, os pobres e as diferentes formas de pobreza como alvo da nossa ação evangelizadora promovendo sempre a vida, a justiça, a paz, a dignidade e a esperança. Ou seja, despertando para esse nosso compromisso com a transformação social, tendo como principal inspiração a ação, a prática de Jesus de Nazaré”, afirma.


Despertando para esse nosso compromisso com a transformação social, tendo como principal inspiração a ação, a prática de Jesus de Nazaré

“Esse cuidado com a casa comum, que é todo esse nosso planeta, que precisa ser bem cuidado. E como o Papa Francisco, toda sua ecologia, o cuidado com a pessoa, o cuidado com a natureza. Realmente é um pontificado bem diferenciado de todos os outros”, considera irmã Conceição.


“Eu considero que é um feliz pontificado do Papa Francisco, e que ele tem olhado para muitas questões sensíveis, e termino dizendo que o Papa Francisco nos lembra que a apesar de todas as pastorais, organismos, serviços, movimentos, comunidades, a “Fratelli tutti” nos ensina que tudo isso é para nós sermos irmãos e tudo isso é para que o Cristo seja um, em cada um de nós. Para sermos uma só Igreja, um só povo, guiados por um só Pastor, que é o próprio Cristo. Então, para mim, o pontificado do Papa Francisco é um feliz e profético pontificado”, confirma Delso de Jesus.


Sejamos uma Igreja em Saída

Papa Francisco durante visita à Escola Elisa Scala em Roma em maio de 2018.

“Hoje, a Igreja está mais aberta, bem mais uma Igreja em saída, vivenciando bem mais o espírito missionário. Mas, acima de tudo, o pontificado do Papa Francisco se diferencia dos outros porque ele quebrou muitas barreiras até dentro da própria estrutura da Igreja, no que diz respeito à hierarquia da Igreja. Então, hoje ele tá muito mais próximo da realidade de cada missionário”, exalta irmã Conceição.


A Igreja está mais aberta, bem mais uma Igreja em saída, vivenciando bem mais o espírito missionário.

“Sou fruto do pontificado do Papa Francisco. Então, já entrei no seminário bebendo dessa fonte que são os ensinamentos do Papa Francisco dessa Igreja, povo, essa Igreja sensível, essa Igreja samaritana”, evidencia padre Manoel Júnior.


“É com esse estilo, com muita fé, com muita coragem, com muita humildade e simplicidade que o Papa Francisco tem guiado a Igreja nesses seus 10 anos de pontificado”, finaliza dom Evaldo.


Contudo, muitos são os ensinamentos de Papa Francisco tanto para a Igreja Católica no Maranhão como para todo o mundo. Sua simplicidade e seu jeito de Ser Igreja motiva e desperta admiração dos que ouvem seus ensinamentos. Em oração, a Igreja no Maranhão reúne-se com a Igreja no mundo neste dia, e agradece pelos 10 anos de pontificado de Papa Francisco, e que, acima de tudo, a vontade de Deus se prevaleça.


Da redação, com fotos do Vatican Media.


20 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page