• Secom

Diocese de Zé Doca emite nota de repúdio aos ataques contra o assentamento campesino Novo Paraíso



A diocese de Zé Doca emitiu nota de repúdio sobre os recentes conflitos de terra que ocorrem na área pastoral da Paróquia São Sebastião, em Carutapera. Os conflitos na região já perduram por cerca de quatro anos e tem tomado dimensões assustadoras. Confira a seguir a nota, na íntegra:


NOTA DE REPÚDIO AOS ATAQUES AO ASSENTAMENTO CAMPESINO NOVO PARAÍSO E APOIO INCONDICIONAL AOS CAMPONESES ATINGIDOS


A Diocese de Zé Doca, por meio da Paróquia São Sebastião, tem acompanhado, por mais de quatro anos, a difícil realidade de conflitos nas comunidades ribeirinhas do vale do Rio Gurupi. Trata-se de conflitos agrários pela posse da terra, estabelecido entre as comunidades de MURUJÁ, IRICURI, MANAUS, CARANANDEUA, BAJACO, SÍTIO NOVO AMAR, CARANANDEUA, MARACACUEIRA, TIMOTIBUA, ARAPIRANGA, AÇUTÍUA, entre outras comunidades de municípios vizinhos, nos estados do Maranhão e do Pará e grileiros que tem se estabelecido na região.


Tais conflitos tem ao longo dos anos tomado dimensões assustadoras, com grande escalada de ameaças, violência e morte contra os camponeses e ribeirinhos, recebemos nesta quarta-feira, dia 09 de novembro de 2022, por volta das 18h, a triste notícia que o Assentamento NOVO PARAÍSO, localizado na comunidade de Maracacueira, Município de Carutapera, fora tomado por pistoleiros armados, que promoveram atos de extrema covardia e violência contra os camponeses, que tiveram suas casas queimadas, e crianças atingidas por disparos de armas de fogo, informações nos dão conta que os camponeses estavam desde domingo, dia 06, sobre intensa ameaças de tais pistoleiros.


Sabe-se ainda que, o conflito na área da FAZENDA NAZARÉ, remonta a pelo menos 40 anos, quando a Comunidade de AÇÚTIUA enfrentou os primeiros conflitos. Nos últimos anos o conflito alcança também os camponeses das comunidades de TIMBOTIUA, ARAPIRANGA e MARACACUEIRA, ressaltamos que, de acordo com assessoria Jurídica das comunidades não há por partes da fazenda Nazaré e seus proprietários nenhuma ação Jurídica reivindicatória contra os camponeses, ainda que houvesse, nada justifica as ações covardes e violentas impetradas contra os camponeses do assentamento NOVO PARAÍSO. Ações essas que REPUDIAMOS VEMENTEMENTE, e REINVINDICAMOS aos órgãos competentes do Estado do Maranhão e do Município de Carutapera, quer dos poderes constituídos, quer do sistema de justiça, a total atenção e assistência, para a garantia dos direitos dos camponeses, resposta imediata para elucidação dos crimes cometidos e responsabilização legal dos envolvidos, bem como, a mobilização dos órgãos fundiários competentes para a completa resolução do conflito no que tange as questões de regularização fundiária e garantias legais para os camponeses.


Destacamos ainda, a dura realidade, pela qual passam os camponeses atingidos, que de maneira violenta são impedidos de estabelecerem suas casas, suas roças, e quaisquer atividades que lhes garanta uma vida minimamente digna; estendemos total SOLIDARIEDADE a todos, em pleno clamor a justiça, como o profeta AMÓS: “rejeitem o mal e amem o bem, restabeleçam o direito...” (Am 5,15). Desejamos que a presente realidade seja superada de maneira pacífica, e sem danos sobretudo para aqueles que são socialmente mais frágeis e vulneráveis, tendo seus direitos garantidos e suas necessidades assistidas de maneira justa e fraterna.


Em nome da Diocese de Zé Doca e da Paróquia São Sebastião, manifestamos mais uma vez nosso total REPÚDIO a esta ação criminosa contra nossos camponeses e ribeirinhos e manifestamos nossa SOLIDARIEDADE E APOIO INCONDICIONAL a todos os afetados. Nosso clamor por justiça continua.


Carutapera-MA, 10 de novembro de 2022


Dom João Kot, OMI

Bispo da Diocese de Zé Doca


Pe. Agnaldo Costa Oliveira

Pároco da Paróquia São Sebastião em Carutapera -MA


Com informações da diocese de Zé Doca.

18 visualizações0 comentário