Diocese de Balsas lança projeto Projeto Laudato Si: reflorestando o cerrado.



Na última quinta (06) por meio de coletiva de imprensa com a presença do bispo diocesano, dom Valentim, e convidados, o projeto foi apresentado à Igreja local e à sociedade

Por Eanes Silva

Com colaboração da redação

Com o objetivo de promover o plantio de 8 milhões de árvores, em um período de 8 anos, a diocese espera realizar o projeto por meio de parcerias para promover a implantação de viveiros voltados à produção das mudas de espécies arbóreas, nativas do Cerrado ou que se adaptem às condições deste bioma, nos municípios de atuação da Diocese de Balsas, que são: Balsas, Alto Parnaíba, Tasso Fragoso, Riachão, Loreto, Fortaleza dos Nogueiras, Feira Nova, Nova Colina, São Raimundo das Mangabeiras, Benedito Leite, São Domingo do Azeitão, Mirador, São Felix de Balsas, Sucupira do Norte, Nova Iorque, Pastos Bons e Paraibano.


É necessário, como sociedade, cuidar da Casa Comum. O plantio de árvores traz benefícios para o meio ambiente e, claro, para as pessoas, entre os quais destaca-se: a manutenção da umidade do ar, a regularidade das chuvas, a diminuição da poluição sonora, o fornecimento de sombra e alimentos (frutos/sementes), além de produtos para inúmeros usos, entre eles, medicamentos, fibras, madeira, látex, resinas e pigmentos; melhorias para a vida futura de muitas comunidades das cidades envolvidas neste projeto.


Como o Papa Francisco nos diz no documento Laudato Si, n.13: “(...) a humanidade ainda possui a capacidade de trabalhar em conjunto para construir a nossa casa comum.”


Somos, pois, corresponsáveis pela manutenção e pela promoção da vida, neste caso, por meio do plantio das árvores.

15 visualizações0 comentário