• Secom

Confira como acontecerá a celebração de acolhida ao novo arcebispo de São Luís


Neste domingo (18), a Arquidiocese realiza a Missa de Acolhida ao novo arcebispo e de Gratidão a dom José Belisário, que se aposenta



Com informações da Assessoria


A Arquidiocese de São Luís terá um novo arcebispo a partir deste domingo (18). Dom Gilberto Pastana de Oliveira sucede dom José Belisário da Silva, que se aposenta por idade. A Missa de Acolhida será no Parque São João Paulo II (no Aterro do Bacanga), às 18h, apenas para convidados do clero do Maranhão, Ceará e Pará, familiares e algumas autoridades civis. Por conta da pandemia, os fiéis deverão acompanhar a posse por meio de transmissão ao vivo por rádios, TVs e canais do YouTube.


Antes da celebração, dom Gilberto sai da casa episcopal e segue até a Catedral da Sé, onde participará do rito de posse, que será transmitido ao vivo pelo YouTube da Catedral. Em seguida, encaminha-se em carro aberto fazendo um percurso pelas ruas do centro histórico até o parque, onde foi montada a estrutura completa para realização da transmissão da celebração para os três estados (MA, PA, CE).


Devido a pandemia e suas medidas de prevenção, a celebração presencial será restrita aos representantes com senha. Assim, o público e fiéis devem acompanhar ao vivo pelos seguintes canais: TV Nazaré / Fundel São Luís (canal aberto 43.1), YouTube da Arquidiocese de São Luís e Rádio Educadora AM 560. Veículos de comunicação do Pará, Ceará e de outras cidades maranhenses também vão retransmitir o sinal da celebração, são eles: rádios Rural de Santarém-PA (710 AM); Padre Cícero de Juazeiro do Norte-CE (104,5 FM), Educativa de Coroatá-MA (106,3 FM) e Educadora de Crato-CE (102.1 FM); a TV Nazaré / Encontro Santarém-PA (canal 26.1)


Caracterizado por sua habilidade administrativa e doçura no trato com as pessoas, dom Gilberto foi nomeado novo arcebispo de São Luís (MA) no dia 2 de junho, após o Papa Francisco acolher a renúncia, por idade, de dom José Belisário. Dom Pastana, que anteriormente estava à frente da Diocese de Crato (CE), tem familiaridade com o povo e cultura do Maranhão, pois já foi bispo da Diocese de Imperatriz no período de 2005 a 2016.


Dom José Belisário da Silva foi o sétimo arcebispo da Arquidiocese de São Luís do Maranhão. Em sua trajetória, que durou 16 anos, ele deixa para todo povo de Deus uma trilha, por meio de sua vida, para sempre enxergar o invisível. Como ele disse: “Volto para as Minas Gerais, para minha família franciscana, com uma enorme dívida - dívida de amor e gratidão. Essa dívida não me é pesada, pelo contrário, é uma dívida que quero carregar para o resto da minha vida com muito carinho”, finaliza dom José Belisário da Silva, agora, arcebispo emérito de São Luís do Maranhão.


Entre o anúncio e a missa de acolhida neste final de semana, passaram-se mais de 45 dias. O novo arcebispo revela como foi sua preparação. “É o Senhor quem nos envia! Ele, portanto, que vai nos capacitando diante das circunstâncias e necessidades. A preparação é permanente e constante. A Arquidiocese é uma porção do povo de Deus que nos é confiada, então acreditamos que nossa ação é sempre conduzida pela força do Espírito Santo, cabe-nos, portanto, nos abrirmos a ação do Espírito para discernir nos acontecimentos e sinais dos tempos àquilo que é a vontade de Deus. Depois, a Arquidiocese já possui um plano de pastoral, e em princípio, cabe-nos acolher esse plano e caminhar com o povo, com os organismos de participação e irmos ao longo da execução, avaliando e complementando de acordo com a necessidade”, conta dom Gilberto.


Também nesse intervalo de tempo, as pastorais e coordenações arquidiocesanas se uniram para planejar o serviço voluntário que será prestado durante a missa. A Coordenação da Ação Evangelizadora organizou um Tríduo em preparação da acolhida do novo arcebispo, com três encontros de oração, partilha e reflexão. O primeiro para destacar a gratidão pelo pastoreio de dom José Belisário à frente da Arquidiocese por mais de 15 anos; o segundo pela esperança e alegria com a chegada de dom Gilberto Pastana; e o último encontro destacaria a pertença eclesial, a qual todos os fiéis devem ter: gratidão, esperança e pertença. Foi preparado e disponibilizado um e-book do Tríduo, de modo que as paróquias e comunidades tenham autonomia para realizar os encontros online ou presencial (respeitando as medidas de biossegurança).


28 visualizações0 comentário