top of page
  • Secom

Casa Comum: Regional NE 5 inicia mobilização para criação de lei estadual de iniciativa popular contra agrotóxicos

 



O Regional Nordeste 5 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, através da articulação das Pastorais Sociais/Repam, em parceria com organizações da sociedade civil, como a Rede de Agroecologia do Maranhão e organismos como a Cáritas Maranhão, realizou de 08 a 10 de março, o Seminário Estadual de Mobilização “Projeto de Lei Estadual de iniciativa popular contra agrotóxicos”.


O evento faz parte das quatro prioridades presentes no plano pastoral do regional para o próximo biênio: O Cuidado com a Casa Comum. E objetiva a criação de uma lei estadual por iniciativa popular para proibir a pulverização aérea de agrotóxicos no Maranhão.


O estado do Maranhão ocupa a liderança de rankings de violência no campo, analfabetismo e insegurança alimentar, e amarga também um lamentável histórico de crimes ambientais relacionados à pulverização de agrotóxicos, atingindo principalmente as comunidades e povos tradicionais.


Participaram deste momento, os bispos dom Evaldo Carvalho, dom Valdeci dos Santos Mendes, e dom Gilberto Pastana, e representantes das 12 dioceses do Maranhão, fortalecendo o compromisso da Igreja no Maranhão com o bem viver de todos os povos.



Próxima etapa - Após o Seminário, os participantes que também são chamados de multiplicadores, levaram para suas dioceses a proposta da criação da lei e a informação sobre os riscos da pulverização de agrotóxicos no estado.


O próximo passo será o pedido da abertura do protocolo na Assembleia Legislativa, e em seguida, será iniciada a coleta de assinaturas que tem o prazo máximo para finalizar em até dois anos esta primeira etapa do processo. Estima-se a coleta de no mínimo 50 mil assinaturas. “Mas, nós temos pressa, nós vamos fazer isso logo”, disse Lucineth Cordeiro.


Dorothy - Um ipê amarelo plantado na casa de retiro Oásis, em São Luís (MA), um

espaço que respira a natureza. O ipê é uma homenagem dos presentes no Seminário Estadual de Mobilização contra os agrotóxicos a Irmã Dorothy Stang.


Irmã Dorothy foi uma religiosa estadunidense naturalizada brasileira, que tanto trabalhou pelo bem viver dos povos. Foi assassinada em Anapu (PA), aos 73 anos. Mas, deixou seu legado também no Maranhão.


Dorothy ainda vive na memória da Igreja. Ela é símbolo de resistência. Mulher forte. Assim como o Ipê - uma árvore de grande porte, beleza e flores - uma árvore símbolo do Brasil. Uma árvore símbolo de resistência!


Agrotóxicos, não! Agrotóxicos, mata!

 

67 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page