• Secom

Arquidiocese de São Luís lança coletânea de artigos jornalísticos escritos por dom José Belisário



No dia 14 de outubro, sexta-feira, às 10h, no Auditório Dom Geral do Dantas, Palácio Episcopal, Centro, acontecerá o lançamento do livro “Na Ilha de Upaon-Açu: doze anos acompanhando a vida da Arquidiocese de São Luís”, publicado pela editora mineira Província de Santa Cruz (2022), de autoria de dom José Belisário da Silva (OFM), bispo emérito da Arquidiocese de São Luís do Maranhão, com prefácio do célebre frei e escritor mineiro, Celso Mário Teixeira OFM.


“Na Ilha de Upaon-Açu: doze anos acompanhando a vida da Arquidiocese de São Luís”, reúne 115 artigos jornalísticos escritos entre os anos de 2010 a 2021, para o Jornal do Maranhão (JM), primeiro veículo de comunicação oficial da Igreja de São Luís do Maranhão, que, em novembro desse ano, completará 87 anos de existência, entre períodos de paradas e retomadas. Em 2009, ao retomar as atividades, o jornal ganhou a contribuição dos artigos de dom José Belisário, que escreveu para o JM até o período de seu regresso à Minas.


Nos artigos, dom Belisário discorre sobre assuntos diversos, que costuram o Evangelho com o tecido do cotidiano, transitando entre política, saúde, educação, causas sociais, assim como temas da economia que envolvem a população maranhense, mineração, portos, agronegócios. Sempre com um olhar sensível de pastor, de quem enxerga a necessidade da presença real e ativa do homem de fé, na vida dos mais necessitados.


No período em que se recorda os 200 anos da Imprensa, o livro mostra a importância da escrita séria e responsável, não apenas para os fiéis católicos, mas para toda a sociedade. Faz emergir a consciência da importância dos bons jornais para o exercício da boa cidadania.


Sobre o autor

Mineiro de Carmópolis, José Belisário da Silva nasceu em 04 de agosto de 1945, no dia de São João Maria Vianney, padroeiro dos padres. Após caminho de formação, graduando-se em Filosofia e Teologia, no dia 13 de dezembro de 1969, foi ordenado presbítero. Sua sagração como bispo aconteceu em 19 de fevereiro do ano 2000, tendo sido nomeado pelo Papa São João Paulo II, para assumir a Diocese de Bacabal (MA). Seu lema episcopal: Invisibilem Tamquam Videns, “Como se visse o Invisível” (Hb 11,27).


No dia 21 de setembro de 2005, foi elevado a Arcebispo de São Luís do Maranhão, pelo Papa Bento XVI, onde permaneceu até a sua renúncia, em 2021.


Em sua trajetória, foi vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), 2011-2015, compondo a presidência com o Cardeal Raymundo Damasceno Assis. Em 2015, assumiu como segundo vice-presidente da Conferência Episcopal Latino-Americano (Celam).


Ano passado (2021), escreveu o Prefácio do livro do franciscano capuchinho da Província Nossa Senhora do Carmo, frei Rodrigo de Araújo, “O Conto dos 30 causos”.


Breve trajetória do Jornal do Maranhão

Criado no ano de 1935, o Jornal do Maranhão completa nesse ano 87 anos de exsitência.


Desde seu período de sua fundação, o jornal oficial da Arqudiocese de São Luís do Maranhão, teve três paradas ao longo de sua existência (1971; 2009; 2020), marcado por fases do Jornal e da Igreja.


Na 1ª fase, circulou de 1935 a 1971, ficando por 36 anos na vida do povo ludovicense.


Sua retomada se deu no ano de 2009, 2ª fase, poucos anos após a posse de dom José Belisário como Arcebispo de São Luís do Maranhão. Nesse período, o jornal circulou ininterruptamente até o ano de 2020, com tiragem de 10 mil exemplares, e distribuição em todas as paróquias existentes.


Com a pandemia, em março de 2020, acontece a terceira parada na produção do jornal, devido a pandemia da COVID-19, permanecendo sem circulação por um ano. Essa 3ª fase, e atual, o jornal retornou em janeiro de 2021, com tiragem reduzida para 5 mil exemplares, formato standard, e papel jornal. Migrando depois para a versão atual, formato tabloid offset.


Com informações da assessoria de comunicação da arquidiocese de São Luís-MA.




22 visualizações0 comentário