top of page
  • Secom

28º Grito dos Excluídos e Excluídas leva a refletir sobre atual conjuntura que vive povo brasileiro



O bispo da diocese de Brejo (MA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Ação Sociotransformadora da Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil (Cepast-CNBB), dom José Valdeci Santos Mendes, participou da entrevista coletiva do 28º Grito dos Excluídos e Excluídas, dia 1º de setembro.


Este ano o lema é “Brasil: 200 anos de (In)dependência. Para quem?”, com o tema: “Vida em primeiro lugar”. O Grito dos Excluídos e Excluídas ocorre historicamente no dia 7 de setembro, escolhido como data fixa anual, para uma ação em rede, uma mobilização à reflexão crítica sobre o Dia da Independência.


O presidente da Cepast-CNBB ressaltou que falar do 28º Grito dos Excluídos e Excluídas leva a pensar e refletir sobre conjuntura que está a viver o povo brasileiro. “Basta olhar a realidade que nós enfrentamos: a situação dos povos negros, das comunidades quilombolas, dos negros que estão nas periferias que ao longo desta história foram sempre deixados de lado”, lembrou.


Compromisso com a vida e com toda criação

Por outro lado, conforme o bispo, o Grito dos Excluídos e Excluídas, é um momento importante de retomada da luta e compromissos, sobretudo, “com a justiça e com o direito. Para dom Valdeci, a realização do Grito “leva a pensar numa sociedade que resiste, a pensar numa sociedade que é capaz de construir um espaço democrático, um espaço fraterno, um espaço que nos leva de fato, a vivenciarmos entre nós e com todas as comunidades tradicionais, com os povos indígenas, as comunidades quilombolas a construir uma solidariedade sólida”.


O bispo ressaltou que “o Grito dos Excluídos e das Excluídas leva a um compromisso com a vida humana, mas também com a Casa Comum e com toda a criação”. Ele convidou a “juntar as vozes, de todos os cantos e recantos do nosso país para dizer que a vida deve estar em primeiro lugar: a vida humana e a vida de toda a criação”.


Programação no Maranhão

  • São Luís: 4/9 – Missa na Catedral da Sé, às 10 horas, na catedral, presidida por dom Gilberto Pastana. Será transmitida pelo facebook e instagram da Arquidiocese de São Luís.

  • Bacabal: 1 a 7/9 – Rodas de Conversa nas comunidades sobre o lema do Grito. 7/9 – Celebração diocesana do Grito, às 8h00, na Igreja São Raimundo Nonato, Bairro Santos Dumont.

  • Brejo: 5/9 – Seminário online sobre tema e lema do 28º Grito, no Baixo Parnaíba, às 19h00, transmissão pelo Youtube da Diocese de Brejo. Organização Fórum em Defesa da Vida do Baixo Parnaíba Maranhense. 7/9 – Celebração do Grito.

  • Timon: 7/9 – Diocese Duque de Caxias, às 6h30.

  • Caxias: 1/9 – Roda de Conversa online 7/9 – Caminhada, início às 17 horas, reunindo as paróquias das 5 cidades que integram a Diocese de Caxias. Encerramento com missa, na Paróquia com a festa de N. S. de Nazaré.

  • São Raimundo das Mangabeiras: 3/9 – Roda de Conversa nas Comunidades.

Confira, a programação em todo Brasil, aqui.


Comissão da CNBB lançou uma Carta de Apoio ao ato

“Diante deste cenário, o lema deste 28º Grito dos Excluídos e Excluídas nos convida a refletir sobre este Brasil dependente “Brasil: 200 anos de (In)dependência. Para quem?” Queremos que os rostos e gritos de todas as realidades sejam vistos e ouvidos! E que, num grande Mutirão pela Vida, somado aos mutirões da 6ª Semana Social Brasileira mobilizados pelas Igrejas, pastorais, organismos, movimentos populares e pessoas de boa vontade, possamos defender e garantir os direitos dos pobres e marginalizados. É marca histórica do Grito, desde seu início, a defesa da democracia e da soberania dos povos!


Convidamos a todos(as) a apoiarem e assumir o 28º Grito dos Excluídos e Excluídas em nível local, regional e nacionalmente. Que o Grito desperte em nós indignação contra toda forma de injustiça e nos fortaleça na construção do Reino de Deus que começa aqui agora e na luta pelo Bem Viver e da Terra Sem Males”.



Com informações da 6ª SSB e da CNBB Nacional.

10 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page